Sonhos de Criança

Vilamoura - marina Hotel Tivoli
Sonhos de criança

Quando somos crianças o mundo para nós é uma descoberta.
Sonhamos muito e vivemos num mundo cor de rosa maravilhoso.
Temos muitas vezes sonhos fáceis de concretizar e até muito divertidos.
Vilamoura - marina Hotel TivoliSe todos pensarmos nos nossos sonhos de criança todos vamos rir um pouco pois são tão simples e tão naives.
Depois crescemos e vamos matando esses micro sonhos, esquecendo como eles eram felicidades simples.
Esquecemos de ir comemorando as pequenas conquistas que temos, e pior achamos sempre que é pouco, que não vale a pena comemorar e às vezes até deixamos de ter prazer com elas.
Pois eu adoro comemorar as pequenas coisas : estarmos vivos por mais um ano, continuar casada, mudanças de emprego, quando fizemos algo e nos dão os parabéns, a compra de um bilhete de avião…. aprendi que há tanta coisa que temos garantido e que é tão valiosa.
Também aprendi a que me gozem por isso, ou me digam constantemente, que disparate, eu até queria mais ou isso não é nada.
Às vezes até comemoro escondida !!!
Mas porque vem isto tudo ?
A semana passada lembrei- me de um sono de criança tão simples e que me tinha esquecido completamente.
Quando era pequena passei sempre férias em Vilamoura, os meu país são o meu oposto, que tenho bicho carpinteiro e não consigo estar num sítio mais que duas vezes e há 30 anos que repetem o ritual de passar férias em Vilamoura .
E à noite em dias que não tínhamos partido a cabeça aos nossos pais tínhamos direito a um gelado na Marina de Vilamoura ( até hoje são os meus gelados favoritos )
Em publicidade isto explica – se muito bem pois são aquelas marcas que estão presentes na nossa infância em momentos felizes e que nós sempre que pensamos nelas temos uma sensação de felicidade porque nos remete para esse momento e compramos.
E sempre que ia à Marina olhava para o hotel Tivoli Marina hotel, que para mim era gigante!!! E dizia um dia vou dormir ali, bem virada para a Marina.
A semana passada quando por coincidência ia a caminho de Vilamoura para uma conferência e também por coincidência percebi que ia ficar no hotel, as sensações positivas chegaram ao meu cérebro e lembrei me que estava a cumprir um sonho de criança
Também me lembrei que já o podia ter feito e que com a idade esquecemos estes pequenos prazer que deveriam ser a razão de vivermos.

Momentos de verdadeira felicidade e que fazem a criança que vive dentro de nós rir outra vez.
Assim entrei no meu quarto com vista para a Marina e disse um dia é hoje !!!
Hoje escrevo para que não ignorem estas pequenas futilidades sempre que possam pois são elas que demonstram que crescemos para fazer a nossa criança feliz.
Claro que me vieram à memória mais mil delas… a lutar por elas…

Ser Mulher numa terra de Homens

Carla a Blogger de viagens

Ser Mulher numa terra de Homens

Mulher é infelizmente aquela palavra que ainda é significado de inferioridade, ainda ouvimos: bates como uma menina, corres que nem uma menina e não chores que isso é de menina.

Até quando? Não sei, mas também sei que temos que ser nós a não deixar isso acontecer. É difícil sim é .
Quantas vezes vi homens a serem promovidos à minha frente com menos qualidades, com menos talento, com menos garra e a fazer metade do que eu fazia. Mas era homem: jogava golfe , ou falava de futebol ( eu até gostava, mas quem dá crédito), ou engatava mulheres e falava disso, e isto não é muito mais interessante para o negócio ?
Ouvi coisas como : não te podemos promover porque ainda és nova e não queres casar e ter filhos e isso demonstra pouca estabilidade ( lamento , casei, tive filhos e foi aí que me despedi) , está longe de ser o que dá estabilidade .
Ouvi coisas como estás a chegar àquela idade e precisamos de saber se queres ter filhos porque isso vai impactar a tua dedicação ( tive filhos e nunca deixei nada para trás, nunca deixei cair nada, nunca deixei de entregar nenhum trabalho , infelizmente os filhos ficaram muitas vezes para trás porque durante anos achei que tinha que demonstrar que não era isso que alterava nada e isso também está errado).
Nunca ninguém se zanga ou deixa de promover um homem porque tem que ir jantar com a mulher todos os dias ( até vejo muitas vezes o ar cúmplice de.. vai, vai coitado) , ou mais engraçado ainda porque todos os dias tem que ir ver a mãe, isto é tudo normal.
Ouvi muitas vezes dizerem que as mulheres não estão nos altos cargos de direção porque um dia optaram por ser mães, sim porque isto ou é uma coisa ou outra; as duas não podemos ter.
Mas também fui eu que sempre que ouvi isto fui para casa cheia de raiva pela injustiça, por sempre ter trabalhado horrores e nunca chegar, frustada ainda dava mais e mais e para nada servia.
Com os anos fui aprendendo que não nos devemos calar, devemos de apontar o dedo, mesmo que o sentimento seja não vale para nada. Porque só assim um dia muito longínquo as mulheres vão ser olhadas de igual para igual.

E acredito que um dia isto vai mesmo acontecer e os homens vão deixar de se sentir ameaçados pelas mulheres e vão olhar para elas como pares e as oportunidades vão nascer.
Mas isto está longe de ser só no trabalho, todos os duas ouço coisas como, mas o teu marido deixa- te sair? Grande surpresa ele não é o meu dono.
O teu marido deixa- te ir de fim de semana, de viagem de trabalho ….. e quem trata dos teus filhos e espantem-se muitas são mulheres !!!
Por isso quando procuramos a igualdade temos que a querer mesmo, e não podemos continuar a julgar as mulheres ou as competências dos homens porque isso também não é igualdade.

Sofremos tanta desigualdade no trabalho que o que fazemos a seguir é demonstrar que somos melhores em outras tarefas? Isso não é igualdade.

Mas também sei que apesar de ter sofrido muita desigualdade e isso nunca me ter levado onde eu sei que ia dar cartas e fazer a diferença, também sei pelo que viajo que isso não é nada comparado com a desigualdade que há no mundo.

Já vi muitos paises em que as mulheres são tratadas como lixo, como escravas, como não valendo nada e a minha realidade perto dessa não é nada.

Mulheres que são mortas porque se apaixonaram, mulheres que são espancadas por ter opinião, gostos ou sonhos, mulheres brilhantes que nem sequer podem trabalhar.

Por isso existe um dia da MULHER não porque esperamos receber flores ( quem me conhece sabe que nem gosto), mas porque é importante que nem que seja por um dia todos se lembrem disto e tentem fazer uma coisinha diferente, porque são os pequenos gestos que podem provocar a mudança.

Faz o teu pequeno gesto hoje e pode ser que os nossos filhos, netos, bisnetos vivam num mundo em que as oportunidades vão ser iguais.

A todas as mulheres que me têm inspirado a ser quem sou hoje muito obrigado ( elas sabem quem são);  aos homens que têm estado ao meu lado e tentam todos os dias que seja diferente e aos meus pais que me educaram sempre num ambiente de igualdade e me apoiaram para ser sempre mais e melhor, mas sem nunca abdicar do que é importante  este dia é dedicado a vocês.

Viajar em 2018

Viajar em 2018

IbizaEm 2018 não foi um mega ano de viagens.
É curioso porque foi o ano que me despedi em teoria para ter mais tempo e liberdade, mas na prática liberdade não é sinonimo de tempo e de conseguir viajar mais.
Claro que depois ainda há que encontrar companhia e claro o dinheiro que por pouco que seja tem que existir.

Estive 3 semanas em Indonésia que é aquele país a que chamo casa e que adoraria viver.
Infelizmente é um país que nesta altura está novamente a sofrer um tsumani e que os desastres naturais têm massacrado muito muito.
Mas 3 semanas que estive lá houve mais de 30 réplicas e terramotos e é ingrato para este país continuar a sofrer tanto.

Indonésia é aquele país que te vai surpreender sempre, pois em cada ilha há quase uma realidade nova.

Quase todos se focam em Bali e Bali é claramente uma ilha mitica e única, mas não se fiquem apenas por Bali pois há muito mais além desta ilha. Explora outras seja de mochila às costas ou de mala Samsonite, não interessa o como, interessa o ir e ajudar este país. E explorar toda a beleza deste país.
Este ano a minha descoberta foi de Derawan aquele sítio que já não existe.

Estivemos também em Belize o oposto da Indonésia, mas com uma beleza natural também gigante.
A beleza de Belize para mim está no mar, que é de um azul perfeito.
Tem também o interior que está cheio de ruínas lindas.
Mas o mar é único, e é aquele país que está tão organizado que se percebe que os Americanos têm tido influencia aqui.

Como quando íamos para Belize a ideia era passar uns dias em Nova York, mas quando se viaja os planos também saem furados e acabamos em Londres, o que para mim é sempre maravilhoso pois dá para ver a minha amiga e acordá-la as 6 da manhã a dizer vou ao jantar.

E parámos também em Houston confesso que nunca esteve na minha lista visitar o Texas, mas fomos ver um jogo de NBA que é uma experiência maravilhosa.

Em Maio foi a vez de Grécia mais concretamente as ilhas gregas… Ou melhor uma das ilhas gregas – mykonos foi o destino e amei. Caríssimo é a palavra associada a esta ilha, mas linda também.   Mar quente, boa comida e uma moto 4 para aproveitar a ilha.

E Setembro foi a vez da minha segunda paixão – IBIZA, já sabem não há ano que não deixe de ir lá.. Amo!!!
E depois acabei o ano de 2017 e acabei o 2018 em Santander que em formato familiar não dá para visitar muito o que se compensa em comida claramente a falta de passar o Natal com a minha família.

Assim em resumo foi um ano fraco o objetivo era um país por mês e fiquei tão longe… Mas estive 3 semanas em Indonésia e a quantidade nem sempre é qualidade.

Indonésia
Houston
Londres
Belize

Ibiza
Santander

Em  2019 tenho que viajar mais,alguma recomendação?

Tradições são coisas que não se explicam

Tradição de Natal
Tradições são coisas que não se explicam

Este ano aconteceu-me aquela coisa que nunca pensei que me acontecesse – passar o Natal fora de Lisboa.
Que tortura não?
E para mim que amo o Natal e cada uma das tradições por mais tontas ou absurdas que sejam, imaginem o sofrimento.
NatalO casamento é isto dizem, para mim nunca foi, o casamento para mim nunca foi um sacrifício, sacrifício é tortura e não um casamento.
Acredito que o casamento é para gerar felicidade constante, deve ser aquilo que nos faz melhor e nunca o que nos faz o pior.
Por isso durante 13 anos apesar de ninguém perceber eu fui feliz a passar em Lisboa e o Tomás fora.
Feliz a ver todos os pais natais de Lisboa, cada um dos mercados de Natal, a decorar a casa e nos dias de Natal a passar os dias na cozinha que ADORO
Natal
Este ano não houve nada disso, nem um mousse fiz imaginem, nada. E em vez de passar o dia a cozinhar, passei o dia em bares com música de discotecas e a comer e a beber. Se alguém entender esta tradição me diga.
Passamos a tarde de 24 de bar em bar a comer e a beber e depois vamos jantar e  já tudo mais para cá do que para lá. Não há meia noite, não há pai natal, não há bacalhau e nem grãos. O amor do meu marido comprou bacalhau marinado e figos com nozes para não me sentir tanto em Marte.

Em vez de passar o dia 25 a ver o Sozinho em casa com a minha avó a amargurar os ladrões e a adorar o momento que eles sofrem como se fosse a primeira vez, passamos 10 horas sentados à mesa, como se um ritual de integração se trata-se.

Confesso que me dói o cu de tantas horas sentadas e acho que já tenho a cabeça verde de tanto fumo e tantas conversas cruzadas.

Tradições são mesmo isto coisas que não se entende. E eu a pessoa que não faz as coisas só porque são tradição: casei num break de almoço numa sexta feira, o meu vestido de casamento tinha vermelho, não fiz enxoval e não me apego a coisas.

Mas o Natal é aquela coisa que puxa por a única tradição que adoro e adoro cada uma. Não amo bacalhau, mas nem considero comer outra coisa no Natal, não gosto de bolo rei, mas não faz sentido não existir na minha mesa.
Nunca vejo filmes com os meus pais, nem avó e nunca repito filmes  e no Natal passamos o dia a ver filmes que já vimos 1000 vezes e parece que é a primeira.

Há pouca explicação para gostar destas coisas mas até sinto que o meu conforto fugiu por não as ter.
Estranho não? Isto por não ter casado com produto nacional.
Quem me manda?

A vida é uma mudança

MUDANÇA

Mudança é a palavra que mais gosto, adoro aquela adrenalina do novo, a adrenalina de começar e nem saber o que fazer; pesquisar, arriscar e até cair.

Carla a Blogger de viagensEste era o meu mote para 2018 mudar.

Mudar porque estava numa empresa há 13 anos que sempre me deu desafios diferentes e sempre fui mudando, mas precisava de me testar mais alto, saber se continuava a ser capaz, saber se conseguia fazer algo novo, viver a incerteza e principalmente sentir que tinha tentado.

A mudança nunca é fácil, dá-nos um frio na barriga pelo desconhecido e todos os dias perguntamos porquê nos metemos nisto.

Demorei meses a tomar esta decisão, fiz centenas de analises swot, colei post it por todos os meus cadernos durante meses; mas no dia que decidi entrei com convicção e não voltei atrás.

Fiz mil cenários dos mais negros aos mais cor de rosas e não estou em nenhum deles , o que é muito bom.

Sai assim de uma total estabilidade para um total desconhecido: contrato, bom ordenado, boas regalias, para nada….

Agora estou a recibos verdes tenho mais ou menos 4 empregos (há semanas com mais e outras com menos), corro de um lado para o outro, tenho a sensação que ainda podia fazer mais e diferente e nunca sei como será a semana seguinte.

Passou exactamente um mês desde a minha saída e não me arrependo.

Não me arrenpendo porque todos os dias têm surgido projetos novos, porque estou a fazer coisas que nunca fiz antes, porque estou a conhecer meio mundo, porque não tenho chefes, mas sim parceiros de negócios, porque não passo o meu dia a gerir politiquices mas sim a produzir e porque se um dia quero almoçar com o meu marido durante mais tempo o posso fazer, se quero ir à escola dos meus filhos posso ir, se quero passar um dia em casa a trabalhar o faço, se quero fazer Yoga de manhã faço, mas se preferir à tarde também.

Sou mais pobre? Sim sou muito mais, se vou aguentar ser mais pobre também não sei

Mas hoje um mês depois de sair, sei que tenho cabeça e força para trabalhar e ter 6 trabalhos se precisar para ganhar mais.

Que tenho nostalgia, claro que tenho, adorava as pessoas com quem trabalhava, os clientes, o ritmo de uma multinacional, as formações, as viagens de trabalho – que saudades tenho delas… E os amigos que fiz que se mantiveram e na minha opinião de uma forma muito mais forte.

Claro que isto não seria capaz sem ter tanta gente que aceitou esta minha loucura e a apoiou, mesmo que não a entenda.

Se me perguntarem se tenho a certeza que vai correr bem? Não há um dia que não tenha dúvidas, mas essa dúvida também me mantem viva e faz-me sair de casa, e dormir pouco e sonhar que era algo que já não me permitia há muito.

Por isso mudem, não passem a vida toda a odiar algo e não mudam só por medo, ou a desejarem algo e nunca testarem por não saberem

Todos temos formas de encarar a mudança diferentes, mas não deixem a vida comandar-vos, comandem a vossa vida e principalmente pensem todos os dias como se fosse o ultimo, pois isso vai dimensionar se querem que o ultimo vosso dia fosse assim.

Preparem a mudança, arranjem planos de contingência, isso é obvio, mas pensem que não são os mega confortos que vos trazem as melhores felicidades, abdicar de um pouco pode trazer mais.

E eu que tenho todos as minhas raizes em Marketing sei que um bom plano, uma boa estratégia e uma análise de todas as variáveis leva sempre bons resultados e é isso que espero.

BE FREE !!!

Best of 2017

colombiaBest of 2017

 

Já todos estão em 2018 e eu ainda a pensar no Best of 2017.

Mas eu sou mesmo assim, cheia de balanços, reflexões e análises SWOT; sou também uma pessoa geralmente agradecida e estou muito agradecida a 2017, a quem me rodeou, a quem me apoiou e a quem me deu força que foi muito necessário em 2017.

Não sou de me focar nos momentos maus, por isso não esperem por eles; embora também tenham existido e vale a pena não os repetir.

Sei que 2018 vai ser um ano de mudanças por isso o 2017 é preciso estar bem analisado.

Assim e sem mais delongas aqui vão os meus prémios de vida para 2017.

Maior Desafio 

Este ano esteve cheio deles e mostrou-me que sou capaz e que lutando tudo se alcança ou se chega perto.

Tenho uma lista grande, mas vou-me focar em 3:

  • tirar o curso de professora de Yoga para adultos – quem diria há 10 anos atrás que estaria a investir nisto. Mas o yoga trouxe-me balanço, superação e tranquilidade. E este curso está a ser um verdadeiro desafio. Pela dedicação constante, as horas despendidas, por ir muito além da minha zona de conforto, pela dificuldade, por não ser naturalmente brilhante nele. Mas também por estar a descobrir o meu espaço, que sou capaz de fazer outras coisas e que a dedicação leva à superação. Ainda não o terminei e ainda faltam muitos trabalhos, muito estudo, mas lá chegarei. Não sei se algum vez serei professora de adultos, mas independentemente disso está a ser um mega desafio.
  • dar aulas na universidade que me formou – Bom filho a casa retorna. Foi no timing certo, e está a ser magnifico. Pela aprendizagem constante; os desafios que me lançam, e principalmente por tudo que os alunos me têm ensinado. Mas mais que tudo porque foram os momentos que mais prazer profissional me deram em 2017. Apesar de muitas vezes ir estafada depois de um dia de trabalho, quando estava à frente da turma a minha energia recarregava e a isso chamo prazer e felicidade a trabalhar que tanto me satisfaz e acredito.
  • pool dancing – adoro experimentar novas coisas, mas existem coisas que realmente se revelam muito difíceis e pool dancing é uma delas. Fiz um workshop que me deu 2 semanas de dores corporais e muitas nódoas negras e a perfeita convicção que o que parece fácil muitas vezes está rodeado de muita técnica e muito trabalho.

 

Livro do Ano 

Aqui vou deixar o meu muro das lamentações. Foi um ano miserável em leitura.

Fechava KO a casa e entre o meu trabalho, a preparação das aulas, correção de trabalhos, fazer os trabalhos para o yoga, estudar Yoga. Os livros ficaram para 120º plano.

E não pode ser.

Adoro ler e tenho que arranjar tempo para isso.

Assim os meus livros andaram à volta do meu trabalho: Yoga; Marketing;  People and culture; mas há um que me aligeirou os dias – O pequeno Buda – fácil e um bom guia.

Objetivo 2018 – ler mais e por prazer e não trabalho

boa baoMelhor restaurante em Portugal 

  • Boa Bao – foi lá muito e eu não repito muitos restaurantes gosto sempre de experimentar novos. Mas este vale cada repetição. Bom serviço, Excelente decoração e a comiiiiddaaa delicia .Boa Bao

Melhor restaurante fora de Portugal

  • Uma surpresa, mas é aquele sitio que não damos nada e passamos lá bons tempos e repetimos e gostaríamos que existisse em Portugal Kitti Chai

Melhor bebida

  • O meu eterno Pistolas y Corazón que têm as melhores margaritas que resolvem qualquer dia de trabalho mau, chatices e problemas fúteis Pistola y Corazón

Já fui tarde

Feria em Sevilha, como nunca tinha ido antes ?

Melhor comida provada

  • Arepas na Colombia uhmmmm

Melhor viagem 

Esta decisão sempre tão difícil. Confesso que adorei todas, mas como não podia? É o meu maior prazer.

Mas South Africa deu-me algo que nunca tinha vivido. O Kruger Park é uma experiencia magnifica de um verdadeiro safari feito à nossa medida e satisfação. A diversidade de animais, o Pôr do Sol e até o amanhecer na Savana de Africa é algo único.

Frase do Ano

  • It’s the will not the Skill  – Querer é meio caminho andado para acontecer, é preciso é querer muito e não desfocar.

Melhor hotel

  • Los Patios Boutique hotel em Medellin é aquele hotel de onde não apetece sair e que em cada canto encontras alguém para conversar, dar-te uma dica … Amei ! – Los patios

colombiaPrazeres instantaneos 

  • Comer fruta nas ruas da Colômbia com um sabor maravilhoso
  • Ceviches na colombia e as suas magnificas Arepas
  • Um copo de vinho da Africa do Sul depois de um dia de Safari
  • Um mergulho numa praia em que a àgua está acima de 28º graus
  • Uma bebida ao final do dia com aquela pessoa que nos faz sentir sempre bem – obrigado Leonor; obrigado Nelly; obrigado Tomás; obrigado Motherfuckers, obrigado Família Moderna
  • Um almoço surpresa, umas gomas deixadas no local de trabalho num dia em que pensas que trabalhas para nada
  • um sorriso ao chegar a casa
  • A superação dos meus filhos
  • um Whatsup da Leo matinal com o seu relatório na sua second live na Holanda

 

Melhor constatação

  • Os meus filhos estão a crescer muito rápido

Decisão do ano

  • Comprar uma casa quando não acredito na posse
  • Colocar limites que há muito já tinham sido ultrapassados

Momento alto

  • continuar feliz
  • dar aulas na ESCS
  • apaixonada todos os dias
  • momentos criados por amigos muito especiais

Desilusões

  • .Festa Natal empresa
  • não fiz 1 viagem por mês
  • saúde do meu pai

Momento solidário 

  • 1 hora de voluntariado por semana a dar aulas de Yoga Kids
  • manter o  Todos ajudamos

Carreira

  • continuar a rir no meu local de trabalho apesar de tudo
  • novos desafios
  • kilos de planos bbs

Inesquecivel

  • Kruger Park
  • Golfinhos no Sado

Aprendizagem

  • Dmexco
  • nova equipa

Vale sempre a pena voltar

  • Algarve

Melhores visitas

  • Emigras quando voltam a casa: Nelly; Machado; meu primo

Momentos difíceis

  • operação do meu filho
  • operações do meu pai
  • Saúde no geral

Stress do ano

  • não ter tempo para dormir

É bom saber

familiaQue uma família que abdicou do seu tempo comigo, para dar espaço à minha realização e satisfação pessoal. Foram espetaculares

E quando se olha para isto tudo nem dá para acreditar que foi tudo o ano passado.

Só espero que este seja só assim, cheio de coisas boas e que o que falta mudar aconteça porque eu vou lutar por isso.

BOM 2018 – Superem -se

 

 

 

 

colombia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sabática 2 anos depois

Fez na 5ª feira 2 anos que partia para uma das melhores experiências da minha vida a sabática. Não sou uma pessoa nostálgica, nem saudosista, mas confesso que esta semana me tem batido forte ambos os sentimentos.

A sensação de liberdade e tempo que senti nesses 4 meses são algo único e sem preço.

Tudo o que aprendi, mudei e conheci vale mais que muitos anos de experiência.

timorTomei muitas decisões nesta sabática e muitas delas até hoje se mantêm:

  • iniciei um curso de professora de Yoga para crianças que acabei e logo comecei a dar aulas e é um dos meus pontos de fuga que me trazem mais felicidade todas as semanas
  • comecei o curso de professora de Yoga para adultos, e estou a adorar
  • com o meu marido mudamos completamente a lógica dos nossos filhos e nunca mais os nossos filhos saíram da escola às 19/20h
  • adotamos mais um filho
  • e principalmente descobri que os sonhos existem, mas que devemos lutar por eles e não passar a vida toda a sonhar, senão nunca teríamos esta sensação que tenho agora de saudade e nostalgia, mas ao mesmo tempo os flash dos momentos de todos estes dias dos 4 meses

E tive coisas que nunca mais vou esquecer por mais simples que sejam:

 

  • sim é possível ler 12 livros em  12 semanas e lembro-me que cada um deles com um detalhe que não me lembro de outros que li: Dorothy; navio de opio; Estrada real; daddy’s little earner; casamento em Veneza; Las edades de Lulu; Family tree; Room; Grey; ghost Girl; bali daze; um casa de chá em cabultopu honi timor
  • tudo o que pensamos que é crucial para vivermos, não é, pois a felicidade faz-se com coisas tão simples como um abraço de 20 crianças ao mesmo tempo, um mergulho onde nos cruzamos com uma tartaruga; um nasi goreng na rua a 1€; uma cabana onde entra todo o tipo de animais e sem casa de banho na praia; casas que nos abriram sem cobrar nada e sem pedirem nada em troca e podia estar aqui uma noite
  • que basta dar o nosso tempo que muitas ongs agradecem pois não têm recursos nem capacidade para ir além das necessidades básicas
  • os amigos vão acompanhar-nos sempre estejamos nós onde estivermostopu honis
  • é possível crianças viverem sem tv, telemoveis, tables e brinquedos e são hiper felizes com uma folha de bananeira a escorregar por uma ladeira a tarde toda e a rir como pouca vezes os vi
  • que quando nos deparamos com a nossa família 24/07 acontecem micro momentos de felicidade constantes, que na loucura e no stress do dia a dia nunca mais conseguimos reproduzir
  • que o maior lider que conheci e que mais me ensinou sobre liderança, encontrei no meio do nada, num local que para chegar são necessárias mais de 24 horas, sem praticamente acesso às novas tecnologias, mas que geria 150 pessoas numa estratégia de auto responsabilização única e com um nível de sucesso que não conheço igual

tartarugas bebesDeixo algumas fotos que nesta última semana têm cruzado pela minha cabeça a cada segundo.

 

Ramen em Lisboa

 

Foi esta a sensação que tive na 6ª feira quando provei o Ramen.

Quando começamos a ler a ementa chama logo à atenção pois existem 3 pratos e a ementa começa com sabemos que temos pouca escolha, mas fazemos os nossos ramens com tanto carinho que preferimos fazer pouco, mas bom.

E não podia ser mais verdade. Os cinco comíamos sem falar de tão bom que é. Provamos os 3 e tenho dificuldade de dizer qual o melhor, pois adorei todos. Talvez o vegetariano por ter leite de coco, mas o Shoyu também é algo de especial, com o ovo no ponto.

O serviço também foi de excelência, não reservei, mas logo conseguiram alterar a sala para nos conseguir encaixar.

 

Assim escolho claramente o Kokoro Ramen Bar o melhor Ramen da cidade.

Kokoro Ramen Bar – Avenida Rovisco Pais, 30A, Arroios, Lisboa – 21 19 74 713

Kokoro Ramen Bar Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Quando viajar incomoda …

Quando viajar Incomoda


viajar

Quando se descobre que viajar incomoda  num jantar de verdadeiros desconhecidos.

Vão imaginar que foi o jantar mais rico de posts de todos os tempos, mas realmente confesso que foi.

Acho que podia passar meses a escrever posts com o que vivi no jantar.

Bem depois de superada a separação da familia ficamos claro numa mesa em que não conheciamos ninguém.

Não que isso nos incomode muito, pois confesso que adoro conhecer pessoas e ouvi-las, mas há algo que me incomoda horizontes fechados.

Para começar a falar com desconhecidos é sempre preciso encontrar um território comum a partir daí um mundo de oportunidades abre-se e assim foi , uma pessoa que estava ao meu lado fez uma referência que adorava fazer mergulho e viajar e claro está, a oportunidade para o jantar não se tornar enfadonho estava à minha frente e logo me lancei.

Começou a comentar os sitios que mais adorava e eu fui tirando notas mentais.

Claro que se pode sempre esbarrar na incompreensão dos restantes elementos e assim foi.

A partir dái os restantes 4 elementos da mesa faziam questão que afirmar que quem viaja não conhece o seu pais, não vejo a ligação, se adoro viajar porque não gostaria de o fazer no meu pais? Senão porque vivo cá? Sou masoquista?

E todo o diálogo rodou à volta… ah pois isto no Cambojda não há, claro que no cambodja não há por isso é que o Cambojda é o Cambodja e Portugal Portugal.viajar

Depois de 30 minutos à volta disto que o meu riso para dentro já começava a vir para fora, começou, o momento vou atirar cá para fora todos os mil restaurantes que conheço e que de certeza aqueles 4 nunca ouviram falar, sim porque como eles viajam, quando estão em Portugal fecham-se numa caverna para não ver nada.

E então passou a ser um diálogo de surdos:

– Ah e aquele restaurante em Cacela, onde se come umas cadelinhas únicas, claro que não conhecem preferem a Austrália,

-Bem por acaso é um dos meus favoritos, vamos lá sempre que podemos

-uhmm mas o zé … esse já não,

-por acaso esse não, é onde?

-sabem lá, nem vale a pena explicar não conhecem nada em Portugal

 

E foi assim todo o jantar agora digam-me eu incomodo alguém quando viajo? Eu proibo alguém de viajar? Eu recrimino alguém de viajar apenas por Portugal, não … então porque tenho que aturar isto.

Acabamos nós, quase com vergonha de trocar dicas porque havia alguém na outra ponta da mesa muito incomodado com as nossas viagens. É realmente absurdo.

Se eles têm tanto orgulho de há 20 anos passarem férias no Algarve; que tal partilharem com o mesmo orgulho os sitios que gostam? Eu sempre que gosto de algum sitio/ restaurante/ praia, partilho no blog, dou a dica … porque penso que quanto mais pessoa puderem ter a minha fantástica experiência melhor.. É mesmo por isso que este blog existe e não para eu ficar rica, pois o que acontece é que perco muitas horas e como podem imaginar ninguém me paga por isso.
IMG_3179

E porque partirem do pressuposto que só Portugal é lindo e magnifico se não querem conhecer nada e nem considerar conhecer; se calhar, mas só se calhar há sitios tão bonitos como em Portugal, diferentes claro, mas bonitos.

É curioso que o meu estilo de vida incomode tanta gente, mas o mundo cada vez é mais intolerante exactamente por não se aceitar a diferença.

Sejamos tolerantes e deixem os outros ser felizes por mais esquisita que a felicidade deles seja!!!

Quando viajar incomoda imagem o que não pode incomodar o resto.

 

 

 

 

Resumo de uma sabática

Resumo de uma sabática

Hoje mais que um post a falar de uma viagem vou postar um link que resume quase após um ano uma aventura deliciosa e a prova que ainda há pessoas que valorizam esta experiência – resumo de uma sabática

Espero que vos inspire tanto este texto como me inspirou escreve-lo !!!!

 

E que inspire muitas pessoas a lutarem pelos seus sonhos que só isso nos mantem felizes

 

O resumo de uma sabática