Dili últimos dias em Timor

Timor é realmente um país difícil de viajar assim resolvemos antecipar a nossa ida para Bali por diversas razões: custo de vida 10 vezes mais baixo e é impressionante pois são países que estão lado a lado, dificuldade de viajar em Timor ( aluguer de carro carissimos e transportes públicos maus e nada de fiar).

Assim resolvemos deitar mais uma vez dinheiro à rua e antecipar a viagem a bali o que nos custou 400 dólares, mas a verdade é que mais 8 dias aqui nos ira custar só em carro 1 000 dólares e hotéis por menos de 60 dólares é impossível de encontrar.IMG_4103 (640x480)

Em Bali arranjamos mais uma troca de casa o que nos permite estar estes 8 dias numa villa linda em Sanur por custo 0, e de um luxo impossível de imaginar.

Aproveitamos os últimos dias em Dili para explorar os restaurantes junto à praia de Areia branca onde o destaque vai para o Papaya, magnifico restaurante que junta libanês com tailandês mesmo dentro da praia, a não perder.

Visitamos também a Chega exibition que está situada numa antiga prisão e relata todos os massacres que se viveu em Timor dos 24 anos da invasão Indonésia, uma visita de arrepiar.IMG_4080 (640x480)

Fomos também ao museu da Revolução um fantástico museu com toda a história de Timor muito bem retratada.

IMG_4077 (640x480)Ambos os museus são de sair de lá a tremer com todas as histórias horríveis de tortura e morte dos Indonésios aos Timorenses e tudo isto com o mundo todo a ignorar durante 24 anos o que se passava neste país que tem a desgraça de estar tão longe de tudo.

Estima-se que nestes 24 anos morreu 1/3 da população e isto foi há menos de 15 anos.

IMG_4094 (640x480)Visitamos também o Tais Market para comprar um Tais de lembrança e lembrar-me para sempre dos serões enrolada aos Tais em Topu Honis, depois de muita discussão conseguimos comprar  um por 18 dólares.IMG_3984 (640x480)

Passeiamos e deambulamos pelas ruas de Dili de forma a não perder nenhuma pitada, esbarramos com este cartaz que diz muito de Timor.

IMG_4104 (480x640)
interior normal de um táxi em Dili

Andamos e andamos de Táxi que é a única coisa barata em Timor e nada agressivo de negociar, mas o estado dos táxis é lastimável.

E assim me vou despedir com elevada nostalgia deste país que tanto mexeu com as minhas emoções; levo um Tais, uma boneca de Atauro e a recordação de um povo muito afável..

Dili o nosso último dia

Hoje foi o último dia em Dili amanhã embarcamos no barco dos infernos, pela descrição eu hoje nem dormi:

– barco para 300 e normalmente vão 600

– um calor insuportável dentro

– tudo a vomitar

– 12 horas de navegaçãoIMG_3607 (640x480)

– e para finalizar 3 horas na fila para entrar

 

Realmente poderia ter escolhido uma instiuição onde não tivesse que passar tantas provas.

Eu enjoo até no barco de cacilhas por isso imaginem o inferno que irá ser para mim, depois vamos com 2 crianças e a tensão é sempre maior, sendo que a Ana enjoa mais que eu o que é dificil.

O voluntariado merece o meu esforço, mas confesso que hoje não consigo pensar assim.

IMG_3592 (640x480)Além que não imaginamos o que vamos encontrar, como vamos dormir, em que condições como será o sitio …. respirar e vencer … terá que ser o lema.

Bem mas voltando a Dili, hoje estivemos o dia todo numa excursão de diving fomos a 3 praias, sim porque aqui os divings saem das praias e estivemos o dia todo dentro de àgua. A àgua como está a 28 graus até fiquei com as mãos enrugadas.

É a Nemolandia aqui em Timor de tantos Nemos que há e claro o coral está perfeito pois não há turismo.

Depois de voltar da excursão ainda conseguimos ver a procisão que passava hoje por Dili e tivemos o nosso jantar civilizado … bye bye … restaurantes encontramos-nos daqui a um mês.

Não sei quando puderei publicar algo outra vez, mas quando tiver internet publico … puxem por nós para tudo correr bem e adorarmos esta experiência e ajudarmos muito.IMG_3682 (640x480)

 

Até breve

Dili

É o nosso segundo em Dili, hoje a manhã começou com o Tomás a ir fazer mergulho e eu fiquei em casa com os miudos.

IMG_3460 (640x480)Aconteceu as maravilhas de viajar e o Tomás no mergulho conheceu uma médica holandesa que se ofereceu para dar as injecções ao David, o que são 2 grandes beneficios:

– Conseguimos dar as injecções na nossa casa que é um ambiente bem mais limpo e seguro que o hospital

– Conhecemos um casal espectacular que está a viajar durante 7 meses e esteve em alguns sitios que vamos querer estar e deram dicas muito muito interessantes de Papua e Suwalesi

O espirito de quem viaja é impressionante, as pessoas são abertas, estão sempre dispostas a ajudar e a partilhar qualquer boa dica, trocamos contactos e por sorte eles ficam em Dili até o David acabar as injecções; por isso temos médico de serviço !!!! Um luxo aqui em Timor.

À tarde com o David melhor; fomos à praia de Areia Branca e aqui é mais uma confirmação que o turismo em Timor é quase inexistente, não havia ninguém numa praia inteira, o restaurante que almoçamos fomos só nós.IMG_3450 (640x480)

Passamos o dia na praia e só ao final do dia começaram a aparecer alguns locais para tomar um banho.

IMG_3452 (640x480)A praia é bonita, mas como todos os sitios sem turismo a praia também é suja; pois claro não há ninguém preocupado em limpar a praia. Porcos passeiam pela praia descontraidamente.IMG_3454 (640x480)

Ao final do dia demos uma volta pelo centro que no pôr do sol é uma loucura de pessoas, mas bastante divertidos.

IMG_3472 (640x480)Há muitas coisas curiosas em Timor, uma delas é à porta dos grandes supermercados, que os timorenses têm muito orgulho de já ter, haver sempre quilos de pessoas a vender coisas que se vendem lá dentro.

Outro aspecto importante é a dificuldade em nos fazermos entender e que gera uma frustação gigante, primeiro porque começamos a falar com alguém e eles respondem um Boa tarde perfeito e claro eu lanço-me com o meu português, morreu o diálogo ai porque boa tarde é mesmo a única palavra em portugues que falam … depois passamos para inglês pior ainda .. e claro começa a linguagem das mãos que nem sempre funciona.

Terminamos a noite num restaurante com uma internet magnifica que deu para conseguirmos ver um pouco como vai o mundo, sim porque para a semana nem internet devemos ter….

Dili

E hoje foi o nosso primeiro dia em Dili.

Primeiro que tudo o nosso filho apresenta finalmente melhoras até parece que foi do ar de Timor, não teve febre o dia todo e já consegue engolir algo, primeira luz ao fundo do túnel.

Começamos a viajar naturalmente em Low budget e o apartamento que alugamos é low budget, mas hiper tolerável e o dono deu-nos dicas muito boas da cidade.

Dili é parecido com as cidade africanas também ex-colonias portuguesas, por mais estranho que seja; é curioso que estão afastadas mas o cunho portugues aproxima-as muito ; Dili é tipo uma mistura de Guiné Bissau, com Maputo e São Tomé.

Naturalmente apesar de estar a 1 hora de voo da Austrália não tem nada a ver com a sua vizinha, os anos de guerra e de ocupação deixaram marcas que ainda hoje se veem.

É uma cidade onde só há o básico e a internet é quase um luxo e a sua velocidade obriga a grandes doses de paciência.

Depois de nos instalarmos no apartamento a primeira coisa a fazer foi procurar o hospital para dar a injecção ao David ..  e lá fomos caminhando, apanhamos os miudos a sair da escola e dá para notar que nas escolas estão a apostar no ensino do português todos conseguem dizer 3 ou 4 palavras; o mesmo não se pode dizer das pessoas da minha idade que não dizem nem uma palavra em português, nem em inglês.IMG_3411 (640x480)

Chegamos ao hospital desde a Guiné não via nada parecido: gente deitada por todo o lado, até na entrada havia macas com pessoas deitadas. Começo a explicar que o meu filho precisa de levar uma injecção de penincelina e dizem não há em Timor, quando eu digo que tenho a penincelina só preciso que a dêem parecia que eu estava a dizer que tinha uma barra de ouro de 400 kg e quando ele percebeu que até vinha com agulha e desinfectante parecia que estava a ver um alien. E em teoria estamos a falar de um enfermeiro porque pelo ar parecia um mecanico e as mãos também.

Pedem para ele se deitar na maca ( nessa maca já devem ter morrido mil pessoas e não trocaram os lençois tive que colocar o casaco dele para ele se deitar) e a forma de dar foi de taberneiro do pior … A sorte é que o  meu filho é um valente pois até a mim me doeu e tive que ser eu a dizer qual a quantidade que tinha que dar uma desgraça.

Ao principio achavam que eu era médica; claro apareço com um saco de penincelina; tenho a certeza que se tive-se dito que sim até me tinham deixado operar.

No entanto acaba por ser triste que ainda existam paises com tão poucas condições básicas de saúde.

No entanto o final foi algo único queriamos pagar e dizem que é gratuito, queriamos dar algo ao enfermeiro pela rapidez e simpatia, não aceitou e estamos a falar de um pais que o ordenado mensal são 50 doláres, é realmente impressionante.

Confesso que as crianças que lá estavam ligadas ao soro e às máquinas me partiram o coração pois sei que eles não irão ter os cuidados que os meus filhos têm a sorte de ter no país que vivem.IMG_3421 (640x480)

Saimos ainda transtornados e fomos almoçar.

Finalmente conseguimos sair de casa e almoçar fora comemos nasi goreng um prato indonésio que adoro, o David claro já conseguindo engolir por ele teria comido 5.

Tentamos fazer mais umas compras para levar para o orfanato, mas não há nada, nada mesmo, corremos uma série de lojas e parecem lojas de há 100 anos atrás, tudo cheio de pó e coisas que não fazem sentido nenhum.IMG_3438 (480x640)

Conseguimos também ir jantar no Kebab club um restaurante turco muito giro no centro da cidade.

Foi finalmente um bom dia ….. e começa-se a desenhar realmente o relax de viajar.

No sábado vamos encontrarmo-nos com o director do orfanato e se correr tudo bem com o David na segunda à noite vamos para Oecussi o Timor mais distante metido no meio de território Indonésio.

 

Obrigado pelo apoio de todos pelas melhoras do David