Kenya – Orfanato da ADDHU

A vida é feita de coincidência e não é que depois de voltar de Timor apaixonada pelo Topu Honis Topu Honis e querendo manter o meu legado mais longo, a Catarina uma mulher que nunca desiste coloca os seus mil contactos e acabo por ealmente conseguir enviar 4 fantásticas caixas para Timor, cheias de roupas, computadores, jogos e livros.

Fila para lavarem as mãos
Fila para lavarem as mãos

No meio deste processo conheço a Susana Neves que trabalha na transportadora e que em um telefonema vimos que temos muito em comum. Pessoas apaixonadas por projectos poucas vezes não os tentam vender em cada minuto de tanta paixão que corre nas suas veias.

Coincidência da vida a Susana também faz voluntariado no Kenya e desde logo me cativou a sua instituição.

O Kenya como todos sabemos é um país muito pobre e a Susana em vez de tirar férias e ir para um resort relaxar, arregaça as mangas e vai para o Kenya ajudar a associação ADDHU – ADDHU. A ADDHU tem um orfanato que acolhe crianças orfãs, que infelizmente num país como este ainda é uma realidade e ajuda a comunidade dos Bairros de lata de Nairobi a terem escola e comida.

plasticina um luxo de bricadeira
plasticina um luxo de bricadeira

 

Para terem noção, o que se gasta por vezes num jantar de 4/5 pessoas paga o salário de uma professora no Kenya, por isso imaginem como cada euro pode fazer a diferença para estas crianças, onde a escola é muitas vezes o único sitio onde comem e a única esperança de uma vida melhor.

 

O que me deixa feliz é que ainda há pessoas como a Susana que gastam as suas férias a lutarem por um mundo melhor, que em vez de irem descansar optam por se cansarem ainda mais, mas de onde voltam com o coração cheio e com a certeza que fizeram a diferença.

Os momentos de atenção partilhadaPessoas como a Susana que voltam e perdem todas as suas horas livres a juntar fundos, roupas .. porque o seu coração fica sempre um pouco lá e sempre que chegamos a casa e vemos o que temos, nos lembramos do que falta aos outros. E é nesses momentos que percebemos que somos privilégiados e que sempre que reclamamos no fundo não temos nada para reclamar porque não nos falta nada.

É bom na vida cruzarmo-nos com pessoas como a Susana que mesmo não me conhecendo de lado nenhum dedicou o seu tempo a ajudar a minha paixão e a alimentar o pedaço do meu coração que ficou em Timor. Que partilhou a sua paixão comigo e que me fez apaixonar por estes meninos do Kenya mesmo nunca tendo lá estado.

E a sua paixão, amor e resilência fez o Todos ajudamos  Todos Ajudamos juntar dinheiro para mandar para o Kenya e tentar impedir que estes meninos fiquem sem escola.13.Comer bem para aprender melhor

Se tu que estás a ler também já estás envolvimento, podes também ajudar, nem que seja com 1€ para ajudar o Kenya ou qualquer outro projecto que o Todos Ajudamos apoia, basta enviares uma mensagem e conto tudo o que fazemos.

Deixa de te queixar e mesmo que não sejas uma Susana prova que Todos podemos fazer o Mundo um sitio melhor para viver.

 

 

 

 

 

Father Richard

Fico sempre impressionada quando alguém abdica completamente de si em função dos outros, na sociedade que vivo isso é quase impensável.

Eu própria que acredito que a vida não pode apenas passar por nós e temos que fazer algo pelos outros, principalmente quando as coisas nos correm bem; não seria capaz de abdicar completamente de mim para me dedicar a 100% a ajudar os outros.IMG_5464

Mais me impressiona quando a ajuda é num local perdido no fim do mundo e sem condições nenhumas.

O Father Richard veio para Timor há quase 50 anos e quase sem saber como … montou uma instituição que à data alberga 100 crianças, mais 22 que estão a estudar na universidade

Tudo começou quando um dia decidiu oferecer comida na cozinha da igreja a uma criança que via todos os dias cheia de fome, quando chegou à noite a criança continuava lá e o cozinheiro responde-lhe o que espera depois de dar-lhe comida. Depois desse dia todos os dias chegava um novo .. e assim se formou o Topu Honis.

IMG_5465Pelo meio Timor Leste tornou-se independente e os Indonésios aproveitaram para atacar Timor e este senhor foi uma das maiores resistências na zona de Oecussi fazendo querer à milícia Indonésia que tinham armas, quando apenas tinham paus e flexas e assim salvou todas as crianças e bastantes famílias, perdendo apenas 2 homens.

No meio desta guerra foram completamente destruídas as 2 casas o que os obrigou a viver no mato durante algum tempo e a reconstruir de raiz as 2 casas em 1999.

O conceito desta instituição é algo curioso porque não existe ninguém realmente responsável, as portas estão abertas e podem entrar e sair sempre que querem.

No fundo só estão cá se quiserem e confesso que tudo funciona na perfeição; todos sabem o que têm que fazer, ninguém falta à escola, todos vão estudar livremente; todos limpam …IMG_3816

Estratégia da responsabilização… se não forem responsáveis não irão ter tantas oportunidades e isso só lhes vai prejudicar a eles a mais ninguém.

Curioso como no sítio mais perdido do mundo que conheci se consegue ter um sistema tão evoluído em termos de liderança, que daria uma lição a muitos gestores. Inclusive a mim…

Topu Honis Experiência

Podia dizer que tudo foi uma maravilha que adorei cada minuto, mas não é verdade.

Noemia em Topu honis
Noemia em Topu honis

Foi duro, desgastante a barreira linguística dificultou muito e confesso que a futilidade ocupou muitos minutos do meu pensamento:

– Tive saudades da minha casa, da minha casa de banho do meu conforto que nunca valorizo, mas que senti falta

– Tive falta de muita comida e sei que eles fizeram um esforço gigante para nos dar o melhor até vinho arranjaram para o jantar, tivemos carne 2 vezes e pelo que percebi isso só acontece no Natal aos miúdos por isso fomos uns verdadeiros privilegiados

– Senti falta de fazer algo, passear, ter o” me time”

Houve imensos imprevistos que não facilitaram a cruzada:

O dia que íamos embora da montanha para a semi – civilização, já mortinhos por internet; praia; restaurantes, cancelam o barco porque é o final do ramadão o que nos obrigou a ficar mais 4 dias na montanha, sem nada; confesso que ficamos deprimidos durante um dia, nem boa companhia para os miúdos fomos; já estávamos prontinhos para descer – que desilusão

A feliz Tutela - Topu Honis
A feliz Tutela – Topu Honis

A vertente religiosa e zen do Topu Honis muitas vezes colidiu com a minha forma energética e de falta de fé

A falta de eletricidade desesperou-nos em muitos momentos mas também sabíamos que era um gasto gigante e ele ligava 1 hora só para nos satisfazer

Os quilos de piolhos na cabeça que de certeza infestaram as nossas

E claro o não haver internet, telefone nada …

Mas apesar disto tudo adorei !!! Quem diria !!! Adorei cada minuto com os miúdos, aprendi que o pouco faz muito e foi um prazer gigante vê-los repetir a cada minuto os jogos que lhes ensinamos; as músicas que aprenderam…

Fiquei a “Tanta Carla” o nome mais carinhoso de todos os tempos .

Noemia a brinca - Topu Honis
Noemia a brinca – Topu Honis

Ao final da noite, todos os dias, era a competição de quem ficava ao nosso colo e quase adormeciam no colo; essa era claramente a atividade favorita deles.

Todos queriam apenas um minuto de atenção e algum carinho mesmo que fosse de uns estrangeiros que eles sabem que vão acabar por ir embora e se calhar nunca mais os veem.

Numa das noites Tutela tentava a todo custo perceber para onde íamos a seguir o padre dizia em segundos ela vai oferecer-se para ir convosco e no fundo é o que querem serem adotados como os sortudos 6 que já foram, seja por quem for.

No fundo querem uma família mesmo que não saibam o que isso significa.

Aqui estivemos mesmo dentro dos costumes de Timor sentimos as dificuldades do país, da população que todos os dias vinha pedir consolo; conselhos ou uma reza ao padre pelos problemas que tinham. Vimos também gigantes diferenças culturais e saímos todos mais ricos, todos com sentimentos diferentes, todos com experiências diferentes; mas com a certeza que nunca nos vamos esquecer destas semanas intensas.

Puzzle time in Topu Honis
Puzzle time in Topu Honis

A despedida foi com quase lágrimas nos olhos ( não queríamos ser nós a chorar) e a Arica ficou a chorar num canto e nem se veio despedir. Eu confesso que nem quis grandes despedidas porque estava com o coração do tamanho de um caroço.

Não sei se os verei mais, não sei quanto tempo se irão lembrar de nós, mas sei que nunca irei esquecer estas meninas e meninos que tantas gargalhadas nos deram, no fundo vim para aqui para fazer algo que realmente importe e acho que estas crianças deram bastante mais que eu …..

 

Kutet

IMG_5391 (640x427)Aqui em Kutet temos um quarto bem melhor há 4 camas o que permite que cada um durma na sua… claro que metade dos miúdos quiseram dormir na porta do nosso quarto mesmo que isso implique dormir no chão … impressionante …

Durante a noite acordo mil vezes pois o padre vai à  casa de banho a cada 2 horas .. mas mesmo assim dormi muito bem nestes dias em Kutet.

O dia a dia à a brincar com eles e confesso que consegue ser esgotante, mas também maravilhoso; todos os miúdos são híper dados e só querem estar connosco nem que seja a olhar.

Com o avançar dos dias vamos criando mais proximidade e até já lutam pela nossa atenção.

A língua é o único entrave apetecia-me falar com eles horas, mas o meu pouco Tetum; Meto ou Indónésio e o pouco deles de português e inglês faz a nossa comunicação ficar por gestos e meias palavras.IMG_3830 (640x640)

As histórias dos miúdos são todas de muita pobreza, muitos filhos e incapacidade de os pais tomarem conta de todos, claro que métodos contracetivos para aqui é algo que nem é considerado.

Também há vítimas de violência claro, muitas vezes consequência do álcool a Rosita e o Júlio passaram a vida a ser espancados e ameaçados de morte pelo seu pai; a mãe ia tentando protege-los como conseguia, mas um dia teve que se ausentar e o pai trancou-os em casa e disse que quando volta-se era para os matar..Rosita e Júlio conseguiram fugir e chegar a Topu Honis, quando a mãe voltou já não quiseram voltar; são dois dos miúdos mais bem-dispostos da casa.

As idades é um campo do oculto aqui todos os miúdos dizem que têm 11, mas é claro que não têm por isso vão orientando-se pelo ano que frequentam na escola.

As noites são passadas com danças e a aguardente; ou então a vermos fotos do passado da casa; e os miúdos sempre connosco claro

Há alguns meninos que já foram adotados nesta instituição e o padre é bem aberto para isso, para já porque como ele diz nunca nenhum pai se opõe e todos dão autorização, para estes país a quantidade de filhos é um problema e não veem os filhos como nós.

Num dos dias entraram 2 meninos novos, a mãe tinha morrido e o pai não conseguia tomar conta de todos e entrega 2 na minha cabeça só martela, como é que ele escolhe os 2 que entrega? Segundo o padre são os mais novos porque podem trabalhar menos … se calhar são os que terão mais sorte e a rejeição é um golpe de sorte.

 

 

Topu Honis Kutet

 

Estivemos completamente fora do mundo tecnologicos nos ultimos dias num lugar perdido – Topu Honis  que nos deixou o coração apertados, nos próximos dias vou contar tudo.

Hoje levantamo-nos ainda de noite para ir para a montanha para a vila de Kutet.

Carregamos o jipe até não haver mais espaço tanto em número de pessoas como em malas e caixas e iniciamos o caminho…caminho é mesmo a melhor expressão que se pode aplicar à “estrada” que nos leva até lá que em situação normal eu diria que era intransitável.

Demoramos 1hora e 50 para fazer cerce de 15 km, por isso imaginem o caminho.

Topu HonisE chegamos a um local ainda mais perdido do que o que estávamos o que é realmente impressionante e quase impossível de pensar… o conceito de aldeia são 2 palhotas e a instituição está no meio do mato, onde só há porcos, cabras e mato…

A casa tem mais ou menos a mesma estrutura que a anterior, pequenas casas com vários quartos dentro.

Desta vez tivemos direito a um quarto com 4 camas o que implica já um grande upgrade.

As casas de banho é que ainda conseguem ser pior porque o “banho” é ao ar livre …. Ai que saudades da minha casa de banho…Topu Honis

Com os miúdos aqui não é preciso 3 dias para eles se aproximarem ou querem fazer algo tivemos o dia todo a brincar com eles e esgotei todas as minhas brincadeiras: jogo da cadeira, peixinho, mimica, macaquinho do chinês … jogamos tudo.

Os miúdos são apaixonantes e não nos deixam nem um minuto sozinhos; claro que já estamos apaixonados por uma Tutela .. Que caracter … eu leva-a já comigo…

À noite conseguimos colocar um filme para todos verem na TV… que atenção destes 40 miúdos ao ecrã tudo estava congelado a olhar para o ecrã. Topu Honis

Topu Honis – Mahata

IMG_3746 (640x640)Hoje saímos e fizemos 3 kms a pé para carregar os dispositivos não há luz há mais de 24 horas e tivemos que vir a um café ao centro para carregar telemóvel, computadores e afins

Aproveitamos e tiramos a barriga de misérias: croissants, sumos naturais, iogurte com frutas um paraíso ….~

A comida na instituição é todos os dias arroz e noodles com legumes ou lentilhas: ao pequeno almoço, almoço e jantar… confesso se me colocarem mais lentilhas à frente acho que vomito e só cá estamos há 4 dias, e agora ainda fazemos esta escapadinha ao centro para matar o desejo, mas amanhã ou depois vamos para a montanha e acabou será arroz com lentilhas o resto dos dias … bem é a forma de emagrecer … os meus filhos não gostavam de lentilhas e agora até já gostam…

Compramos hoje alguns snacks para ir variando também no centro e leite ara os miúdos que isto de arroz e noodles ao almoço é demais …

Hoje passamos a manhã no centro e depois um mergulho na praia… voltamos para a instituição com os miúdos quando vinham da escola e almoçamos. arroz, noodles e lentilhas … e resolvi que se eles não querem aprender inglês.. Vou ensinar aos meus filhos, comecei a aula, mostrando bonecos e eles tinham que dizer o nome e começaram como todos os dias a juntarem-se à nossa volta, mas 1 hora depois começaram a participar …. Iupiii finalmente 4 dias depois quebra-se o gelo…IMG_3761 (640x640)

Estivemos a tarde toda nisso fizemos quilos de jogos e o que mais sucesso teve foi a mimica e eles tinham que adivinhar em inglês ou português …

E depois desta bela aula ainda conseguimos ir nadar com eles e fazer snorkelling…

Os miudos que se juntam na praia sempre que aparecemos são o máximo hoje apanharam o Tomás a fazer flexões e passaram a tarde toda a imitar … são de mijar a rir… Depois de 2 dias já se aproximam nem que seja pelas fotos e pelos rebuçados

Bela tarde .. finalmente nos sentimos uteis … e maravilha da maravilha .. hoje há electricidade ….

Só falta para terminar bem a noite hoje não ser arroz e noodles com lentilhas….IMG_3772 (640x640)

Ano da mudança

Este ano tomei fortes decisões que espero que marquem a minha vida.

Assim irei fazer 4 meses sabáticos, meses esses que vou aproveitar para viajar e aplicar grande parte a voluntariado.

Um dos países escolhidos é Timor Leste um dos 20 países mais pobres do mundo e que tantas vezes esquecemos que existem.

Irei estar numa instituição que foi chave nos anos de guerra e que está literalmente no meio do nada, essa instituição está a passar fortes necessidades e eu gostaria realmente de marcar a diferença lá.

Visitem o site, apaixonem-se pelo projeto e contribuam com algo, 1€ pode fazer a diferença num país que o rendimento diário anda nesse nivel.

Material didáctico, jogos, livros serão também uma forte ajuda para deixar o legado.

Esta viagem será ainda mais rica porque vou com a minha familia o meu marido e os meus filhos, para os mais pequenos irá ser também uma lição de vida e espero que voltem muito melhores e que isso contribua muito para o futuro que eles terão..

Aqui vou contar-vos toda esta aventura e quanto dinheiro vou conseguindo juntar para deixar nesta instituição.

4d1743e60e4252b24fa4bed8a5c3a3f3_f97 65c360f96e192685e28087f3658e8171_f41

 

http://www.topuhonis.org/

Eu já dei o primeiro passo, quem se arrisca a dar o próximo???